Até 2021, assistentes virtuais digitais serão usados por 25% das empresas

21 de janeiro de 2019
Nenhum Comentário

Estudo do Gartner prevê que, até 2021, 25% dos profissionais usarão diariamente assistentes virtuais empresariais para colaboradores (VEA – Virtual Employee Assistant, em inglês). Em 2019, esse número será menor do que 2%.

Annette Jump, Diretora Sênior do Gartner, comenta que a expectativa é de que os assistentes virtuais específicos para colaboradores sejam usados por um número crescente de organizações nos próximos três anos. Segundo a especialista, indústrias como a de seguros e serviços financeiros estão demonstrando forte interesse em utilizar soluções de VEA internamente. “Também presenciamos a utilização desse tipo de tecnologia em consultas de TI, atendimento ao cliente e para informações”, apontou.

Os exemplos incluem o desenvolvimento de plataformas como o Alexa for Business, da Amazon, que ajuda os funcionários a delegar tarefas como o agendamento de reuniões e de operações de logística; e o MIKA, da Nokia, dedicado a ajudar os engenheiros a encontrarem respostas enquanto realizam tarefas complexas ou diagnosticam problemas.

“Em última análise, os assistentes virtuais empresariais são usados no local de trabalho e os recursos de VEA aumentam a produtividade dos funcionários e promovem o engajamento construtivo”, explica a Diretora.

Mercado de chatbots

O mercado mundial de plataformas de conversação – assistentes virtuais e chatbots – inclui atualmente mais de 1 mil fornecedores. Para os próximos dois anos, no entanto, é esperado que a busca por novos recursos provoque uma drástica mudança no panorama dos fornecedores. “Os líderes de TI que desejam implementar uma plataforma de conversação devem determinar os recursos de que precisam a partir de tal plataforma no curto prazo e selecionar um fornecedor com base nisso”, indicou Annette.

Interfaces de voz criadas para empresas se multiplicarão

O Gartner prevê que, até 2023, 25% das interações dos funcionários com aplicativos serão por meio de reconhecimento de voz – muito acima dos 3% previstos para 2019. Embora a maioria dos chatbots e VA ainda seja baseada em sistemas de texto, os serviços de fórum e aprendizagem estão melhorando rapidamente. Como resultado, a implantação de soluções baseadas em voz aumentará.

Fonte: ComputerWorld